PROCURANDO ALGO?

Minha empresa precisa oferecer todas as novas tecnologias?

Data: 14 de junho de 2013
Autor: Ediney Giordani

Muitas pessoas falam para você sobre novas tecnologias, sobre como você tem que estar antenado com elas, mas é assim mesmo? Você perde terreno em não estar atento a elas? A resposta? Sim!

E olha que não importa o tamanho do seu negócio e nem o número de funcionários que você tenha, oferecer o que está por aí pode ser o diferencial entre aumentar ou não os seus lucros. Pense em um táxi por exemplo, se estiver dentro da lei tem apenas um funcionário, o próprio taxista.

Todo mundo de vez em quando irá precisar de um táxi, então não preciso me preocupar com isso, certo? Errado. Vamos a linha do tempo para entender melhor:

Primeiro os taxistas eram pessoas com licença da prefeitura que circulavam onde queriam e paravam onde queriam. Mas aí veio a confusão, ninguém conseguia encontrar um taxista. Aí a prefeitura criou a primeira técnologia para o setor, cada taxista seria separado por pontos e estes pontos teriam seu telefone. Muito bem, quem não tivesse o telefone já perdia corrida. Tudo ia bem até que o telefone se democratizou no final dos anos 80 e aí as pessoas não queriam sair em busca de táxi, então formaram-se as cooperativas de táxi em que a pessoa ligava para apenas um telefone e este mandava para sua casa um carro, fácil assim. Mas o taxista que quisesse entrar nesta onda deveria ter outro equipamento tecnológico, o rádio.

Dia vai, dia vem, e um tal de dinheiro de plástico começa a se democratizar na população, chama-se cartão de crédito e débito, este aliado com a alta criminalidade faz com que cada vez mais as pessoas saiam de casa com menos dinheiro, ou seja, quem não quiser perder as maiores corridas, justamente aquelas que dependem de mais dinheiro terá que se associar a mais esta tecnologia, a maquineta de cartão.

Por fim, quando o taxista achava estar com toda a tecnologia possível ao seu dispor, não é que um bando de jovens com QI alto inventa um troço chamado “aplicativo” em que se pode pedir táxi, sem ligar para ninguém e ainda sabendo a localização exata do carro? Ou seja, mais uma vez, quem não quiser perder corridas, possivelmente boas corridas pelo perfil de quem utiliza esse serviço, terá que adotar mais esta funcionalidade, e veja nenhuma tecnologia substituiu outra, elas foram se complementando.

Este exemplo serve para qualquer ramo da prestação de serviço. O seu negócio tem telefonistas aptas a dar informações sobre os produtos? Possui um site completo com descrição e de fácil navegação? Eu consigo comprar sem sair de casa? Todas são perguntas válidas e que sim, você tem que responder positivamente a todas elas.

Pense nisso, busque uma assessoria, busque uma atualização só não fique na inércia, a inércia é decisiva, ela é decisivamente letal ao seu negócio.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!