PROCURANDO ALGO?

Attention tourists: things are different in Brazil

tomada_plug_brasileiro 2Everything is different in Brazil, we can’t say that it’s better or worst, it’s different and in times of World Cup the rule applies more than ever. We made a short list of things that over 600,000 visitors (estimated), should be aware when arriving in Brazil. Simple things but it can bring a lot of headaches .

Socket – Eletric Plugs

This iten can bring a lot of headaches, Brazil is the only country that uses this type of sockets. It’s relatively easy to find an adapter in home improvement, supermarkets and 1.99 Stores (equivalent to Dollar Tree in USA).

4G and Mobile

Tourists used to 4G networks in their country will be negatively surprised and the reason is simple, mainly for iPhones users, The Brazilian network standard is different and will not work . Another aspect that should be noted is: in USA purchasing a prepaid SIM card is extremely easy since you can find it anywhere and it doesn’t require any documents. In Brazil it’s easy to buy the chip as well, but in order to enable it you must have a Brazilian personal identification number, one of the criteria of the carriers.

Transport

There are brutal differences among all host cities – note that we are in the Curitiba, so let’s talk about here, ok? Unlike most European and North American cities, we have no subway in Curitiba. Tourists will have to understand that our transport system is based on buses and taxis. In other countries it is common for you to buy tickets for days or weeks, making the ticket cheaper, obeying the logic: ” the more you buy, the cheaper it gets.” This concept does not exists here and will be a difficulty for those who visit Curitiba. To call a cab, the greatest difficulty is the language. In person it’s easy to communicate but you if call the taxi company it will be a problem since we called 4 of them and none of them could understand us.

Accepts AMEX ?

A lot of small brazilian entrepreneurs invested because the World Cup was coming. They redesigned their stores to welcome the turists. But most of the stores doesn’t accept American Express as a form of payment. Ok, it’s not a big problem for europeans, but according to FIFA, the americans are the top ticket buyers, and considering they love their AMEX, better prepare for that.

Eating habits .

First, the good news: our food is cheap comparing to the rest of the world, but the bad news is: our food habits are differente from the rest of the world. Everybody drinks coffee but where are the donuts? And what about our dear waffles? Can’t start my day without my egg with sausages. Our breakfast is poor if we compare to yours. But in the other way our lunch is way better. Shoud not be a problem tough since you can always go to McDonalds.

Security

Unfortunately our country is way less safe than the most of our visitor’s countries. It’s even worse trying to talk to a police officer in english. We made test and asked simple information for the local police. In vain. The results in Spanish were a little bit better since the hand gestures helped a lot.

Versão em português: Atenção turistas: no Brasil as coisas são diferentes

Tomadas ou plugs

Este item pode trazer muita dor de cabeça, o Brasil é o único país do mundo que utilize esse tipo de tomadas e não leva em conta as “astes quadradas”. É relativamente fácil encontrar um adaptador em materiais de construção, supermercados e nas antigas lojas de 1,99.

4G e celular

Os turistas acostumados a velocidade do 4G em seu país irão se surpreender negativamente, o motivo é simples, e principalmente para os iPhones users, o padrão brasileiro é diferente e não irá funcionar. Outro ponto que deve ser observado é: no exterior adquirir um chip pré-pago é extremamente fácil, você encontra em qualquer lugar e não carece de qualquer cadastro, no Brasil também é fácil comprar o chip, mas para habilita-lo é um desafio e tanto para o turista visto que ele não possui CPF brasileiro, um dos critérios para o cadastro nas operadoras.

Transporte

Neste tema há diferenças brutais entre as cidades sede, falemos de Curitiba, cidade sede da kakoi 🙂 Em Curitiba diferente da maioria das cidades européias e americanas não há metrô, os turistas terão que entender nosso sistema de transporte baseado em ônibus e táxis. No exterior também é comum você comprar passes de dias ou semanas que deixam a passagem mais barata, a lógica é: quanto mais você comprar, mais barato fica. Isso também será uma dificuldade para os turistas. Nos táxis a barreira é do idioma, se no face to face a gente acaba se entendendo, pelas ligações para as centrais de táxi é um problema, fizemos um teste com 4 centrais e nenhuma delas conseguiu nos entender.

Aceita AMEX?

Muitos pequenos empresários investiram na Copa, decoraram suas lojas para receber os turistas, mas na hora do pagamento… hmmm, problema, não aceita American Express. Ok, não é lá um problema muito grande para os turistas europeus, mas segundo a FIFA os americanos foram os que mais compraram ingressos para a Copa do Mundo, e considerando que eles amam o seu AMEX, é melhor correr e se preparar.

Hábitos de refeição.

Primeiro a boa notícia para os gringos, a nossa comida é barata em comparação aos maiores países do mundo, mas tem a má notícia: nossos hábitos alimentares são extremamente diferentes dos demais. Todo mundo toma café, mas onde estão os donuts? Cadê os meus queridos wafles? Não consigo começar o dia sem a minha salada ou omelete com linguiça. Nosso café da manhã é pobre frente aos demais. Nosso almoço é rico em comparação. Não deve ser um grande problema já que na pior (ou melhor) das hipóteses dá para correr para o McDonalds.

Policiamento

Infelizmente nosso país é bem mais inseguro que a maioria da origem dos visitantes. Pior ainda é tentar conversar com um policial em inglês. Fomos até o jogo teste da Arena da Baixada em Curitiba e perguntamos em inglês para alguns policiais sobre a localização da entrada, não obtivemos êxito. Em espanhol nos saímos melhor, os gestos ajudaram bastante.

O que mais faltou? Lembra de algo que deixamos passar? Contribua com este post que vamos atualizando. 🙂

Comentários Facebook

 

VOLTAR

Por Ediney Giordani
em dentro de:
Comunicação