PROCURANDO ALGO?

Saiba como usar os 6C’s do social media e ter sucesso

Data: 28 de abril de 2015
Autor: KAKOI

sorayaImagine quantas pessoas entram todos os dias nas redes sociais! Imaginou? Agora, calcule quantos negócios essas pessoas geram. E isso que nem citamos os serviços online, prestação de serviços públicos, etc
Em outras palavras, trabalhar como Social Media não é – e nunca foi –  brincadeira e a responsabilidade comercial é enorme.

Mas para não se perder dentro do volume de pessoas que comentam todos os dias pelas redes socais e obter sucesso com as (crescentes) demandas que as redes sociais possibilitam é que está rolando no mundo todo os 6C’s do social media.

Soraya Renfro, social media da kakoi Comunicação, comentou sobre cada um destes 6C’s e como um social media pode – e deve – tirar proveito de cada conceito.

1 – Conversação (Conversation)
O Social Media precisa estar antenado com o público e entrar na onda. Uma linguagem com estilo faz toda a diferença.

“Conversar é trocar informações e uma marca/empresa precisa da interação. Saber o que estão falando sobre a companhia. O fundamental é saber escutar e não apenas soltar conteúdo e deixar acontecer. O internauta não quer ser apenas ouvido, e sim compreendido” diz Soraya.

2- Cultura (Culture)
Se as pessoas possuem seu estilo de vida, de moda, de música, de alimentação na vida real, elas farão a mesma coisa no mundo virtual. Por isso, um social media precisa saber quais são os costumes culturais de seu público para manter o engajamento alto.

“Imagine só um social media usando gírias de futebol em uma página direcionada ao público que escuta música sertaneja?!?  Não vai casar e vai, de certa maneira, ofender os seguidores da página” explica Soraya, ressaltando que o social media precisa ter certeza de que o seu conteúdo está chegando da forma mais acertiva possível.

3 – Neutralidade no conteúdo (Content Neutrality)
Apps como Whatsapp e plataformas mais ”tradicionais” com o Twitter crescem sem parar – e geram conteúdo, polêmicas, oportunidades, etc. Portanto, as marcas precisam de estratégias para cada uma dessas ferramentas.

“É o tal do conceito de criar conteúdo que todos os tipos de público conseguirão ver. Um internauta encontra algo no Face e compartilha pelo Twitter, por exemplo. A rapidez com que novas plataformas surgem ou são adotadas por usuários antigos é rapidíssimo” conclui Soraya.

Em outras palavras, mantenha o conteúdo pelo conteúdo adaptado para todas as redes sociais imagináveis do mundo.

4 – Necessidades da país ou região (Country Needs)
Globalização, lembram deste termo? Pois ele nunca deixou de ser usado. Usar as ferramentas sociais (o global) com o interesse da região (o local) vai depender de cada mercado e de cada estratégia da equipe de Social Media.

“É preciso perguntar: as pessoas conhecem bem a marca que estou trabalhando? E eu, como social media, sei o que essa marca representa para a cidade, o estado ou para público alvo? O social media de sucesso sabe exatamente como usar o Pão de Açúcar, por exemplo, para engajar os cariocas em alguma ação assim como o social media sabe que o mesmo Pão de Açúcar não teria o mesmo efeito para uma campanha em Goiânia, por exemplo”.

Um dica importante de Soraya é sempre adaptar o conteúdo com a realidade local.

5 – Aparelhos celulares (Cellphones)
O mobile é maioria esmagadora hoje em dia no acesso com redes sociais – por isso, social media com celular TOP sempre na mão e, acima de tudo, sabendo como usar.

“Não da para descartar que o publico está por aí, andando e fotografando, publicando, comentando… Celular é tudo hoje. Dá para saber o quanto a marca está sendo bem aceita, quem entra na loja, quem comprou o que, o que comentou, etc. É preciso estar atento e preparar planos conteúdo mais assertivos. Talvez um vídeo mais pesado não seja o modelo ideal para promover algo no WebChat” explica Soraya.

 6 – Comunidades (Communities)
O interesse do público é mais importante do que uma abordagem mais tradicional por região. Vale estudar bem quem você quer atingir e definir o seu público alvo.

“Afinidade e engajamento sempre. Por exemplo, tivemos a apresentação da banda Kiss no Brasil, certo? Um produto dirigido para o público roqueiro durante um mês antes do show dá muito mais retorno do que uma ação nas cidades em que teremos os shows, apenas porque a banda estará passando por ali” conclui a social media da kakoi.

 

 

 

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

 

VOLTAR